Projetos de Extenção

Programa de intervenção psicológica para promoção da parentalidade positiva

Coordenador: Mauro Luís Vieira E-mail institucional: mvieira@cfh.ufsc.br Página do projeto: http://www.nepedi.ufsc.br/projetos/ Área temática do projeto: Saúde Público-alvo: Comunidade acadêmica e externa Número de beneficiários: 30 pessoas Número de alunos de graduação envolvidos no projeto: 5 alunos

O entendimento que pais e mães constroem sobre suas funções parentais costuma influenciar no modo como se relacionam e criam seus filhos. Frente às mudanças culturais e sociais nas últimas décadas, é visível o efeito dessas transformações nos sentidos e modos de parentalidade que se apresentam na atualidade. Essa pluralização pode contribuir para o sentimento de insegurança sobre a adequação das práticas parentais utilizadas com as crianças. Dentre os programas elaborados para responder essas demandas encontram-se propostas voltadas para a promoção de práticas parentais positivas. O presente projeto tem como objetivo realizar um programa de intervenção psicológica para promoção da parentalidade positiva para pais, mães e responsáveis com o propósito de promover às famílias um espaço para reflexão e partilha de experiências sobre funcionamento familiar, parentalidade, desenvolvimento infantil e coparentalidade. A importância de propor programas de intervenção na promoção da parentalidade positiva é corroborada por evidências de que investir no aprimoramento influencia o modo como pais e mães relacionam-se com seus filhos. Ofertar espaços para promoção de práticas parentais positivas pode prevenir problemas no desenvolvimento infantil. As alunas de graduação selecionadas para o projeto de extensão e contempladas pelo PROBOLSAS 2018 participam do projeto realizando as seguintes atividades: reuniões semanais, leituras, divulgação do projeto, entrevista e seleção dos participantes, planejamento e preparação das sessões, realização do grupo e redação dos relatórios semanais.

Resultados esperados

O programa de intervenção para os pais e mães é importante por proporcionar um espaço de troca de experiências com outros cuidadores e pela oportunidade de refletir sobre suas preocupações, desafios, expectativas e experiências de ser responsável pela criação e educação de crianças. Nesse sentido, espera-se como resultado do presente projeto de extensão: a) auxílio às famílias na conscientização de suas práticas educativas; e b) percepção da necessidade de alterar alguns dos seus comportamentos e práticas, percepção das mudanças no exercício da parentalidade e avaliação dos pais como mais respeitadores da identidade e do tempo da criança.

 

Grupo de habilidades sociais na infância: desenvolvendo competência social para relacionamentos interpessoais positivos

Coordenadora: Marina Menezes E-mail institucional: menezes.marina@ufsc.br Área temática do projeto: Saúde Público-alvo: crianças e pré-adolescentes, na faixa etária de 6 a 12 anos provenientes da comunidade acadêmica e externa à UFSC e seus pais/responsáveis Número de beneficiários: 20 pessoas Número de alunos de graduação envolvidos no projeto: 5 alunos

As habilidades sociais na infância são um conjunto de comportamentos de interação interpessoal necessários para o desenvolvimento da competência social, que inclui responsabilidade, empatia, assertividade, autocontrole, evitação de problemas e expressão de sentimento positivo. Os programas de promoção de habilidades sociais ampliam o repertório de comportamentos socialmente adequados e relacionamentos ajustados às capacidades individuais. O presente projeto objetiva desenvolver e implementar um programa de treinamento de habilidades sociais com crianças e pré-adolescentes, na faixa etária de 6 a 12 anos. O programa prevê a realização de dois grupos por semestre, totalizando 12 encontros semanais, com 90 minutos de duração, realizados no Serviço de Atenção Psicológica, SAPSI/ UFSC e no Fórum do Norte da Ilha, Florianópolis/ SC. As atividades são desenvolvidas através de interação lúdica, por meio de brinquedos e jogos. Os participantes responsáveis pela execução do projeto pretendem avaliar o repertório de habilidades sociais das crianças (no início e ao final do programa); comparar a competência social das crianças antes e após o treinamento de habilidades sociais; mobilizar a ativação de sentimentos, pensamentos e ações voltadas às situações de interação social; e promover a maximização das seis dimensões das habilidades sociais: empatia, assertividade, comunicação, civilidade, solução de problemas interpessoais e fazer amizades.

Resultados esperados

Espera-se que o desenvolvimento de habilidades sociais na infância auxilie na redução de problemas de comportamento e de aprendizagem, melhorando as condições de relacionamento com pares e com familiares, contribuindo para os contextos de desenvolvimento de crianças, adolescentes e famílias. Como serão 20 participantes crianças e pré-adolescentes, acredita-se numa difusão das informações do projeto por meio desses participantes, os quais, possivelmente relatarão suas experiências e as aprendizagens às suas redes sociais.